terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Explosão

Como águia, voarei,

Como vulcão, explodirei,

Preciso de Deus, buscarei,

Na casa sólida da vida, me abrigarei,


O ouvir me faz existir,

A liberdade me revela,

O lamento me assusta,

A paixão me desgoverna,


No deserto sem água morrerei,

Na escuridão as lembranças eu trarei,

Nas matas, os cantos dos pássaros escutarei,

Na vida sem amor não viverei,


As águas descendo de mansinho,

E a brisa do ar começa a esfriar,

Vendo o céu azul, e as matas verdes a brilhar,

O amor é a forma do homem sonhar


ML Sant`Ana

Rio 03/02/2009