sábado, 29 de maio de 2010

Sempre podemos nos supreender

Eu hoje apreciei a lua da janela da minha casa, ela parecia tão perto, tão bela, ao mesmo tempo eu percebia que ela se distanciava. E meu coração pulsava forte com toda aquela beleza.
Que encanto tem a lua quando nos verdadeiramente olhamos para ela com ternura e não deixamos nos levar pelos os belos versos e prosas da lua dos namorados.
Fiquei na janela, por muito tempo, eu não tinha pressa, queria olhar ela se resplandecendo por traz daquelas matas. Ao mesmo tempo fiquei pensando, como nos desperdiçamos as coisas preciosas da vida.
Aquela lua a cada mês ela está ali, eu mora nesta casa há 20 anos e jamais tinha apreciado um momento como aquele. Era um momento exclusivo e o mais importante era saber usufruir e valorizar cada minuto.
Queria muito poder dividir aquele momento com todos vocês, então achei que deveria descrever o que senti.
O que aconteceu é que por um momento, tudo parou, era como se ao fazer parte daquele momento a minha alma se elevasse e eu senti paz.
Foi assim que aconteceu em uma noite na janela da minha casa. Ainda havia um silêncio que testemunhava a noite perfeita.