quarta-feira, 11 de março de 2009

As fronteiras do amor.



Ainda que exista resistentência para se falar de amor, deixe que brote ao seu coração. Finja nada conhecer, para abservar cada gesto, cada frase como uma verdade. Deixe aberta a janela da alma para compreender que amor é um sentimento diferente, e se verdadeiro é impossível de ser confundido.

Na vida quando for falar sobre o amor, faça-o de verdade, para ser ouvido na mais alta voz. Pratique o amor como prova de si mesma, de acordo com a palavra de Deus. O amor para muitos é distante, são como sonhos... mas cada um pode acordar, para vivê-los na melhor lucidez do seu dia.

O verdadeiro amor não tem fronteiras, está em todos os lugares, e em tudo. Quem verdadeiramente pratica o ato do amor, este pode alcançar até aos seus inimigos, para que possa provar a si mesmo aquilo que gosta de dizer aos outros.

O amor no exercício da fé deve-se estender aqueles que não acreditam mais em nada. Não deixe de falar, pois são muitos os famintos. Ao falar de fé fale com amor e clareza, com os olhos para encontrar a razão daquilo em que crê. Ao falar de Deus, os seus atos são seu testemunho, faça-o no silêncio do seu viver, como abraçar alguém, quando tiver frio, para lembrar-se daqueles que estão aquecidos.

Estenda a mão sempre para quem sentir frio, e o aqueça com o calor do amor. E quando estender a mão, segure firme para não deixar escapar.

O amor é felicidade, mas se você acreditar. Aprenda com o silêncio para entender o amor.