segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Um momento pode te levar a uma paixão.

Todo mundo tem sua primeira vez para tudo. Primeira vez para namorar, para se decepcionar e até se apaixonar.
A paixão muitas vezes é uma emoção quase patológica. Mas quando estamos vivendo ela se torna o máximo pelo o fascínio que se exerce sobre o outra pessoa. Na maioria das vezes chega ser tão prejudicial que a pessoa perde sua identidade, o seu poder de raciocínio, tornando dolorosa esta forma de sentimento.
Ainda bem que a paixão é passageira, transformando às vezes este sentimento em amor ou não, depende do grau do fascínio e de como o véu foi rompido quando a pessoa percebeu que tudo aquilo era muito mais mental do que emocional.
Uma pessoa precisa estar envolvida para amar, mas para se apaixonar basta um sentimento entre duas pessoas.
A paixão pode ultrapassar barreiras sociais, diferenças de formação, idades e gêneros. Deve ser observado que a paixão completamente correspondida causa um estágio de felicidade e satisfação aos apaixonados, mas qualquer dificuldade pode atingir essa plenitude e trazer tristeza, pois o apaixonado só se vê feliz ao lado do outro.
A paixão se resume em um sentimento de desejar, querer a todo custo estar com aquela pessoa. Cria-se uma necessidade de ver e tocar a pessoa por qual se apaixonou.
Acaba como um vício que debilita a mente de forma a focar somente para a pessoa cujo seu pensamento está voltado unicamente para ela.
Às vezes acho que a paixão é pura arte! Assim como contemplamos um quadro, queremos vê-lo, queremos tocá-lo. Assim também como a beleza das cores o sentimento do apaixonado descreve em sua mente a beleza da sua paixão.
Mesmo que seja um encanto passageiro, a paixão se torna ativa e romântica, muito diferente do amor não poderá ser eternizada.
Na verdade os fatores que estão relacionados com o amor são as sensações de segurança e calma afloradas no sentimento.
Uma coisa é certa só se apaixona quem tem sentimento, às vezes esses sentimentos se perdem e se deixam conduzir por esses labirintos confusos que a paixão domina.
Um momento pode te levar a uma paixão.

Tem uma música que retrata muito bem tudo que escrevi aqui.

Me Apaixonei (A 1ª vez que eu te vi)
César Menotti e Fabiano

“A primeira vez que eu te vi
Pensei até que fosse uma miragem
Me aproximei, tentei falar
Faltou coragem
A primeira vez que eu te vi
Gamei, apaixonei
Senti que era amor de verdade
A primeira vez que eu te vi
Gamei, apaixonei
Senti que era amor de verdade

Me apaixonei
Quando vi os teus lindos olhos brilhando
Em outra direção olhando
E eu não existia pra você
Me apavorei
Quando vi o teu sorriso lindo se abrindo
Despedindo e indo
Chorei sem querer
Quando vi o teu sorriso lindo se abrindo
Despedindo e indo
Chorei sem querer

Pensei que nunca mais ia te ver
Chorei sem querer
E eu sem uma chance pra dizer
O quanto estava apaixonado por você

A primeira vez que eu te vi
No peito o coração bateu a mil e explodiu
Ao me aproximar
Senti no corpo um arrepio
A primeira vez que eu te vi
Apaixonei, sonhei
Tentei falar a voz não saiu
A primeira vez que eu te vi
Apaixonei, sonhei
Tentei falar a voz não saiu

Me apaixonei
Quando vi os teus lindos olhos brilhando
Em outra direção olhando
E eu não existia pra você
Me apavorei
Quando vi o teu sorriso lindo se abrindo
Despedindo e indo
Chorei sem querer
Quando vi o teu sorriso lindo se abrindo
Despedindo e indo
Chorei sem querer

Pensei que nunca mais ia te ver
Chorei sem querer
E eu sem uma chance pra dizer
O quanto estava apaixonado por você “